Phil Spencer destaca a importância dos jogos first-party para o lançamento do Project Scorpio.

O empenho da Microsoft para vender o Project Scorpio, codinome dado ao novo console no qual ainda faltam conhecer muitos detalhes, ele vai muito além de fazer um hardware. Uma grande parte do esforço da empresa se concentra no desenvolvimento de jogos first-party.

Durante uma sessão de perguntas e respostas no Twitter, Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, reconheceu que eles estão "muito focada em títulos first-party" [...] "Eu sei que é vital apostar em obras first-party. " Adicione também que ter estes jogos prontos para o lançamento do Project Scorpio é o básica. Spencer antecipa que quer deixar os jogos da empresa mais tempo na E3.

Parece que a Microsoft vai ter muito trabalho voltado para a E3 2017. Tem que apresentar Project Scorpio, monstrar aos jogadores que o seu novo sistema vale apena e também apresentar os jogos. Uma hora e meia de conferência pode ser pouco tempo, por isso é que Spencer não descarta fazer outros eventos.

Spencer também foi questionado sobre sua recente viagem ao Japão, duas semanas após a viagem apenas declarou sua satisfação com o interesse dos desenvolvedores no Project Scorpio e Xbox One. Agora ele falou um pouco mais, dizendo que vamos ver JRPG Xbox One, algo que ele próprio reconhece ter dito antes. Embora sãomuitos que anseiam por Blue Dragon ou Lost Odyssey.

Microsoft mantém um bom portfólio de jogos e algunas de saus maiores licenças como Forza (Turn 10), Halo (343 Industries), Gears of War (The Coalition) ou Minecraft (Mojang), estão ativas ou receberam um jogo recente. Além da novas licenças de Sea of Thieves (Rare),  State of Decay 2 (Undead Labs) ou Crackdown 3 (JReagent Games) não há detalhes sobre em que jogos poderiam estar trabalhando na empresa. Talvez seja a hora de resgatar Banjo-Kazooie.

Fonte: GamesIndustry.

Vídeo mostrando novos combos "impossíveis" para Street Fighter II: The World Warrior.


Street Fighter II: The World Warrior foi a primeira versão da icônica série de luta da Capcom, graças a uma série de mudanças em sua primeira entrega, onde conseguiu ter sucesso. Caracterizado por ter 8 personagens aproximadamente equilibrados (talvez tirando o Guile e Dhalsim) e uma série de mecânica que seria a base da maior parte dos  jogos do gênero, que não estava nessa entrega foi um sistema de combos.

A falta de um sistema de combos não foi impeditivo para os jogadores descobrirem que algumas sequências de movimentos podiam ficar presos em um oponente desprevenido  impedindo a sua recuperação, e não foi um obstáculo para Desk, que tem um dos combos mais conhecido de Street Fighter II: The World Warrior, publicou 26 anos depois do lançamento do jogo, um vídeo que contém uma série de inéditos combos de 100% (capaz de eliminar completamente o sangue do seu rival).
Mecânica demonstrada com os oito personagens selecionáveis ​​SFII começa a partir de um bug mostradoa na hitbox do Vega (Balrog na versão original japonesa) durante a animação da queda depois de receber um ataque forte em baixo. Desk explica que esta técnica foi mostrado pela primeira vez pelo jogador japonês TZW nos tempos em que os fãs gravavam e compartilhavam essas técnicas em fitas VHS, mas que sua tecnica não foi desenvolvidas até a um mês atrás quando começou a combinar este glitch com outro conhecido como "a pausa ao cair no canto."

Fonte: Vídeo do canal de YouTube de Desk

Microsoft apresenta a linha de joy Tech Series para Xbox One e Windows PC.

A Microsoft lançou uma nova linha de joy sem fio para Xbox One e Windows PC conhecido sob o nome Tech Series. O primeiro integrante desta família de periféricos que foi batizado como Recon Tech e estará disponível a partir 25 de abril por US$ 70 (cerca de R$ 227 na atual cotação do dólar) .

O joy Recon Tech de edição limitada apresenta um design elegante no cinza escuro e tem atraz um acabamento emborrachado em cada lado para que exista um “melhor controle e mais conforto”, sem mencionar que, graças ao material, o suor de suas mãos é absorvido com muito mais rapidez.Os desenhos em ouro e logotipos que encontramos na parte frontal do joy foram feitos a laser.

As outras características do joy Recon Tech são iguais a de qualquer  joy fabricado recentemente pela Microsoft para o Xbox One, com o dobro do alcance sem fio, personalização das funções do botão mediante o uso de um aplicação, conector auricular estéreo 3, 5 milímetros, tecnlogia Bluetooth para jogar no Windows 10  ou Samsung Gear VR, joysticks interativos e com uma pad digital (cruz) melhorado.

Microsoft aproveitou a apresentação do novo joy para lembrar que o reators Update irá introduzir a nova função Co-piloto. Este recurso permite que dois controles atuem como se fossem um. Co-piloto é uma melhoria na acessibilidade.

Por enquanto o Creators Update não tem data de lançamento, mas suas novidades (incluindo a função de co-piloto) estão disponíveis no programa Insider.

Fonte: Microsoft

Nintendo irá consertar dessincronização dos controles Joy-Con com uma espuma condutora.

Desde o inicio das vendas do Nintendo Switch alguns usuários relataram problemas para sincronizar o Joy-Con (o joy da esquerda) quando jogam com o joystick sem fio. A solução oficial é ficar longe de outros dispositivos com conexões sem fio ou enviar o joy para a assistencia tecnica, assim como fez Sean Hollister da CNET.

A curiosidade de Hollister fez com que ele tirasse uma fotot do interior do joy antes de enviar para a assistencia tecnica. Esta foto permitu descobir que o Joy-Con Nintendo reparaou e sem problemas dessincronização era exatamente o mesmo, mas com uma pequena diferença: eles tinham adicionado um pequeno pedaço de espuma condutora cujo o objetico é de proteger os componentes eletrônicos de interferências externas.

Além de enviar seu joy para a assitencia , Hollister comprou um novo Joy-Con para ver se a Nintendo tinha implementado esta solução nos novos controles. A resposta foi negativa. O Recém adiquirido Joy-Con não tem espuma, mas com uma nova versão da placa que parece ter resolvido os problemas de conectividade detectados em algumas unidades iniciais.
A Nintendo encoraja a qualquer proprietário de um Switch a entrar em contato com a assistencia tecnica para resolver este ou qualquer outro problema com o console. Em qualquer caso, a empresa afirma que não é um problema generalizado e que todos os contratempos estão sendo resolvidos rapidamente. A Nitendo acrescenta que os pedidos de reparação ou substituição são coerentes com o observado no laçamento de outros consoles da Nintendo.

Nintendo disse em um comunicado enviado esta tarde a Kotaku que o problema com o comando Joy-Con já foi abordada no nível da fábrica.

Fonte: CNET

Intel Lança seus SSD Optane de alto desempenho, que pode ser utilizado como se fosse uma memoria RAM.

Em meados de 2015 a Intel anunciou o desenvolvimento de uma nova gama de unidades SSD profissionais conhecida sob o nome Optane. Esses produtos se caracterizariam por oferecer um desempenho brilhante fruto do uso da tecnologia de memória byte addressable 3D Xpoint, graças ao qual a Intel e seu parceiro Micron querem fornecer dispositivos de armazenamento capazes de funcionar como se fossem grandes módulos de memória RAM. Esta aposta dá agora seus frutos, com o lançamento das placas P4800X.

Feitos para o mercado profissional ( e não apenas o geral, mas para mercados muito específicos), as novas placas Intel P4800X oferecem taxa de transferência seqüencial de 2.400 MB / s e 2.000 MB / s em modos de leitura e gravação, respectivamente. Que é muito bom, mas não uma revolução. O realmente interessante destas unidades é que sua latência foi reduzida  a extremos infinitesimais (10 µs) quando comparados com outros SSDs.

Isto torna possível a realização de um grande número de operações por segundo, mesmo sob condições ideais, quando a maioria dos fabricantes de SSD sempre assumem o melhor cenário possível. De acordo com a Intel, o desempenho des suas placas foi estimado em 550.000 IOPS em modo leitura e 500.000 IOPS em modo escrita. Além disso, as notas do fabricante indicam que sua memória mantém sua latência  ao longo do tempo (o que não é possível no caso de outros produtos).

Outra interessante detalhe de memória 3D Xpoint é que utiliza escrita não destrutiva. Isto significa que os SSDs integram esses chips serão muito mais confiável para uso contínuo ou até mesmo intensivo, com suporte para até 30 ciclos de escrita ao dia em vez de a 0,5 a10 que seria comum. E esse detalhe é o que leva ao que é possivelmente a característica mais notável das placas P4800X: podem ser utilizadas como se fossem memória RAM.
  
Assumindo que a máquina em questão tenha o hardware adequado (atualmente são suportados os processadores Intel Xeon E5-x6xx v2 e E7 x8xx v2 ou posterior), será possível usar um ou mais placas P4800X igual como se fossem módulos memória RAM . Para fazer isso a Intel irá oferecer um software de controle (pago) chamado Memory Drive Technology, que é essencialmente invisível ao sistema e é responsável por combinar a memória RAM DRAM do sistema com o espaço SSD alocados pelo administrador.

A verdade é que a memória das novas unidades da Intel oferecem uma latência e largura de banda significativamente pior do que a DRAM convencional (A Intel diz que o seu software pode otimizar algumas tarefas para fazer com que suas placas sejam ainda mais rápidos em certas condições de uso muito específico), mas em vez disso oferecem quandiadas maiores de memória a um preço significativamente mais baixos. Algo fundamental em ambientes onde a quantidade é muito mais preciosa do que a velocidade. Neste sentido, seria possivel configurar servidores Xeon com até 12 TB de RAM e até 48 TB  de memória em placas Optane.
 

As unidades Optane será dirigidas por agora ao mercado profissional, mas a Intel fará o seu melhor para trazer sua tecnologia de memória 3D Xpoint para o mercado consumidor. Vai levar um tempo.

As primeiras unidades de 375 GB estão disponíveis a partir de hoje limitado a um preço de 1.520 dólares, deixando pendente a sua distribuição aberta para o segundo semestre do ano. Antes disso que colocaram uma placa PCIe de 750 GB e uma unidade U.2 de 375 GB no segundo trimestre, com  uma variante de 1,5 TB prevista para o segundo semestre de 2017. Mas adiante a Intel vai lançar unidades em formato DIMM.
Fonte: Intel

Battle Princess Madelyn supera em poucos dias seus objetivos no Kickstarter e terá edições físicas.

Quinta-feira passada foi lançada a campanha no Kickstarter para Battle Princess Madelyn, um impressionante jogo de plataforma em 2D de indiscutivel sabor retro e clara inspiração na serie Ghost n' Goblins / Ghouls n' Ghosts da Capcom. Expressado por seus desenvolvedores como um título arcade que combina com a base da mencionada serie e detalhes de outros títulos como Wonder Boy 3: The Dragon's Trap, o jogo chegará se tudo estiver bem, em fevereiro do ano que vem para computadores com Windows e as consoles Wii U, Switch, Xbox one e PlayStation One 4.

Battle Princess Madelyn  é o resultado de que a filha do criador do projeto, Christopher Obritsch, (Insanity's Blade) expressou seu desejo de enfrentar o seu inimigo favorito, o primeiro chefe de Ghouls n 'Ghosts, porém "as meninas não podem ser cavalheiros" disse afilha. Armado com sua experiência como ilustrador e desenvolvedor indie, Chris prometeu a jovem Madelyn seu próprio jogo e começou a trabalhar junto a outro programador e dois músicos.

O gráfico Battle Princess Madelyn fica coberto por uma estética pixel art clássica na qual  é aplicada utilizando a Unity (o ambiente de desenvolvimento escolhido para a versão final) um sistema de iluminação em tempo real que proporciona um aspecto distinto. Para a música eles contaram com dois profissionais responsáveis ​​por trilhas sonoras.

A história do jogo não poderia ter uma abordagem mais simples: depois que um malvado feiticeiro seqüestrou sua família e acabou com a vida de seu fiel cãozinho Fritzy, a jovem Madelyn não le resta outra alternativa a não ser vestir sua armadura e saí ao resgate dos sobreviventes. Ao longo do caminho contará com a ajuda de alguns NPCs, potenciadores, peças de equipamento e do fantasm de Fritzy, útil por sua capacidade de ataque, mas também como uma ferramenta para resolução de puzles.
Quanto ao desenvolvimento do jogo, BPM permitirá partidas rapidas ao estilo arcade, mas também uma abordagem mais calma que convide a localização de grandes quantidades de objetos escondidos e a colaboração dos aldeões em submissões. A campanha principal terá dez ambientes, divididos em cinco fases, cada uma com algumas seções opcionais e escondidas com ênfase em jogabilidade. Você pode testar uma demor para Windows na página da Steam.

Depois de alcançar em pouco mais de dois dias seu obejtivo principal de cerca de 42.000 dólares no Kickstarter, a campanha tem levantado uma série de objetivos adicionais que também está em vias de conseguir com isso será desenvolvido um modo boss rush, dez submissões, outro nível de dificuldade e personagem principal e dois inimigos. Os desenvolvedores também chegaram a um acordo com Limited Run para publicar uma edição física das versões PS4 e PC do jogo, e se atingir o valor mais alto (cerca de 104.000 dólares) também vai desenvolver uma versão digital para PS Vita.

Fonte: Página da campanha no Kickstarter

Naughty Dog fala sobre Uncharted: The Lost Legacy: personagens, tamanho dos cenários e duração.

Sony publicou em seu blog oficial uma prévia do Uncharted: The Lost Legacy que revela novos detalhes sobre o jogo. No texto, os diferentes membros da Naughty Dog falam sobre a decisão de juntar Nadine com Chloe, o tamanho do cenário, a duração do jogo, a introdução de novas armas e a ausência de Nathan Drake.

Uncharted: The Lost Legacy está situado no extremo sul da Índia. Este novo cenário vai incluir segundo o diretor do jogo Kurt Margenau "as áreas mais extensas jamais vistas em um jogo de Uncharted", que irá oferecer aos jogadores novos caminhos para explorar. Naughty Dog promete vastas e belas areas, de florestas exuberantes a altas montanhas, passando por templos antigos e paisagens urbanas (como mostrado no vídeo de apresentação PSX 2016).

The Lost Legacy vai oferecer uma grande área central que conecta diferentes localizações. Além de ter fases variadas e grandes, todos eles incluem segredos e tesouros escondidos para recompensar aos jogadores mais minunciosos. Haverá também quebra-cabeças, tiroteios e cenas de ação a marca da casa.



Chloe Frazer e Nadine Ross são parceiras relutantes que nem sempre concordam, mas precisam trabalhar juntas para conseguir obtner uma valiosa presa de um misterioso senhor da guerra chamado Asav. Naughty Dog recuperou a Chloe  por ser um personagem "interessante, por ter um carater mas obscuro que Drake". Ambos são caçadores de tesouros, porém Drake tem um pouco de complexo de herói, Chloe pensa principalmente nela.

A presença de Nadine é justificada por suas ações em Uncharted 4 e a necessidade que Chloe tem de recorrer a seus conhecimentos militares. Na opinião roteirista Josh Scherr, Nadine é "provavelmente, o personagem mais racional e prática" da saga. "Ela tende a agir de forma pratica [...] é estruturada", acrescenta. Shaun Escayg, diretor criativo do jogo, ambas as mulheres formam "uma boa combinação", cujo relacionamento irá se desenvolver ao longo do jogo.

Uncharted: The Lost Legacy também incluirá novas armas de combate, como uma pistola com silenciador (a primeira da série) para ampliará as opções de stealth. "Há situações que podem evitar o combate por completo, cercar apartir de qualque direção", explica Margenau. "Ele passa uma sensação de maior, mais orgânico, com mais escolhas para o jogador." Explosivo plástico C4 também estará disponíveis.

Finalmente, revelam que Nathan Drake não vai fazer nenhuma aparição em The Lost Legacy. A razão é simples: sua presença é considerada redundante depois de ter deixado tudo amarrado em Uncharted 4. Quanto à duração do jogo, está confirmado que será maior do que The Last of Us: Left Behind, porém menor do que Uncharted 4.

Uncharted: The Lost Legacy estará disponível este ano. Aqueles que compraram o passe de temporada de Uncharted 4, antes de 13 de dezembro de 2016 receberão, sem custo adicional, enquanto  quem não tem o passe de temporada poderá comprar separadamente a um preço ainda não revelado.

Fonte: Blog PlayStation

Novo trailer para The Surge, que chegará em 16 de maio para Xbox One, PS4 e PC.


O novo jogo da Deck13, os desenvolvedores do título de RPG e ação com certa inspiração na serie Souls Lords of the Fallen, estará disponível para PC e consoles em 16 de Maio. A combinação de mecânicas complexas de combate corpo a corpo com uma profunda personalização baseada na extração das partes mais interessantes dos inimigos de The Surge virá acompanhado por três pequenas ajudas ingame para aqueles interessados em reservar o jogo.

Deck13 confirmou que aqueles que fizerem a pré-compra de The Surge no PS4, Xbox Um ou windows PC e Steam  ganharam  um exoesqueleto limitado "PSOI", um implante "contrapeso" que aumenta as estatísticas de ataque físico e outro chamado de "sensor de radiestesia", que irá nos ajudar a localizar implantes secretos.
A história de The Surge nos leva a um futuro distópico em que o aquecimento global e a guerra entre corporações têm destruído os alicerces da sociedade tal como a conhecemos. A mega corporação CREO, que nasceu com o suposto propósito de salvar o mundo, irá fornecer suas instalações como cenário para uma aventura na qual precisão em combate será a chave para a sobrevivência e não teremos muita ajudas nos momentos de descanso.

O elemento mais distinto do mundo do jogo se constitui nos onipresentes exoesqueletos onipresentes que outrora serviu para ajudar a executar os trabalhos mais pesados e na atualidade tem propósitos mais diferenciado. Durante o combate com os usuários devemos prestar atenção aos elementos que nos parecem mais interessante para adicionar ao nosso arsenal.
Em The Surge não enfrentamos rivais apenas de nosso tamanho; as instalações de CREO também guardam letais monstros mecânicos com elaborados padrões de ataque capaz de testar a nossa gestão de energia que precisa de cada peça do equipamento funcionando de forma eficaz. A escolha adequada da combinação de elementos de defesa e ataque será tão importante no combate como o domínio de possíveis movimentos e a progressão do nosso personage.

Fonte: Site Oficial de jogo

O jogo com criação de magias Mages of Mystralia inicia (e termina) seu financiamento.

Hoje foi o dia escolhido para o lançamento da campanha de financiamento no Kickstarter de Mages of Mystralia, um título independente de ação e aventura que tem certas particularidades no que diz respeito aos expoentes mais comuns do gênero, e seus criadores o definem como um cruzamento entre a mecânica do Legend of Zelda e a ênfase na natureza das magias da série Harry Potter.

O aspecto mais significativo de Mages of Mystralia é o seu sistema de criação ou  programação de magias com base em quatro componentes básicos e três tipos de runas que modificam as suas características, efeitos e comportamento. Os quatro componentes que atuam como uma espécie de magia são "Immedi" (para distâncias curtas), "Actus" (baseado em esferas flutuantes), "Creo" (materialização de objetos físicos) e "Ego" (com efeito sobre o próprio mago).

Sobre estes tipos básicos construímos nossas próprias magias através da aplicação de runas de comportamento aplicaveis, outros modificadores que afetam a sua natureza e finalmente as ativadoras, que ligam o resultado ao cumprimento de determinadas condições. A página da campanha mostra um sensível exemplo simples, que a partir de uma esfera "Actus" de fogo e adicionanmos uma  runa de comportamento "Move", nós temos uma bola de fogo, ampliada  com outro comportamento "Duplicate" que multiplica seus efeitos.

Cotinuando então com outra magia, o "Ego" de gelo, mas aplicação do comportamento "Duplicate" gera uma estátua do mago (tipo a do Sub-zero), no qual, com a ajuda da runa ativadora "Periodic" acumulando a magia anteriormente criada e como resultado temos uma torreta de gelo. A runa modificadora  "Right" vai transformar finalmente em uma defesa giratoria eficaz.
A história e o mundo de Mystralia prometem uma profundidade e coerência acima da média através da participação no projeto de Ed Greenwood, o cavalheiro fixo com a espetacular barba que vocês podem ver no vídeo de apresentação e  escreveu em 1987  The Forgotten Realms, usados ​​por algumas das franquias mais populares da serie  Dungeons and Dragons como Baldur's ou Neverwinter Nights.

O aspecto musical de Mages de Mystralia também contará com um nome ilustre ao colocar no comando da trilha sonora a Shota Nakama, um dos responsáveis em Final Fantasy XV e o remaster Kingdom Hearts 2.5 HD. Nakama dirigiu o Video Game Orchestra para gravar música do jogo ao vivo.

O estudio explicou que motivo para iniciar uma campanha com um objetivo tão humilde (e que foi alcançado em poucas horas de seu lançamento) é para completar algumas coisas de um título quase terminado em que eles têm recebido uma grande quantidade de sugestões e propostas nas feiras onde foi mostrado.
O acesso a versão de teste será imediatamente após a finalização da campanha para aqueles que apoiarem a mesma.

Fonte: site da campanha do jogo no Kickstarter.

Tekken 7 irá adicionar dois personagens de outros jogos através DLC.


Namco Bandai anunciou esta manhã que a versão doméstica de Tekken 7 receberá pelo menos dois personagens de outros jogos através de uma série DLCs. A empresa não especifica que estes personagens são seus, então talvez nós podemos olhar mas para frente além soa candidatos óbvios como aqueles da série Soul Calibur.

O primeiro conteúdo adicional estará disponível este verão, adicionando um novo modo de jogo e mais de 50 roupas ou personalizações para lutadores. No inverno, estará disponível o pacote que adicionaria o personagem adicional e na primavera de 2018 o segundo. Junto com os personagens adicionados também sera incluido os correspondetes cenários e roupas alternativas. Embora os três DLCs possam ser adquiridos separadamente, também estará disponível para os jogadores um passe de temporada que adiciona ao referido conteúdo 35 roupas metálica.
A empresa também explica que em todas as plataformas do jogo você poderá desfrutar de "painéis de personagens gratuitos" usados ​​para personalizar a imagem dos lutadores durante as telas de carregamento e nos representar em nossa luta online. Namco Bandai teria recorrido à colaboração de artistas de todo o mundo para estas ilustrações inéditas.

Tekken 7 chegará ao PlayStation 4, Xbox One e Windows PCs em 2 de Junho.

 
Fliperama Games © 2012 | Designed by Fliperama e Zeh